Monthly Archives: Março 2016

  • 0
Vá além dos seus limites

Vá Além dos Seus Limites

Você já parou para pensar quais são os seus limites? O que é que você pode ou não realizar na sua vida, independente do setor, seja ele profissional, pessoal, financeiro ou familiar? Onde aprendemos o que é ou não possível fazer?

Normalmente, aprendemos isso na educação familiar, escolar e profissional. Além disso, no decorrer da nossa vida, isso também acontece em relação às pessoas com as quais convivemos, respeitamos e admiramos. Isso com certeza ajuda cada um de nós a melhorar nossa capacidade de interação com as pessoas, pois a grande maioria continua definindo seus limites baseada nisso. Porém você já parou para pensar que só existe uma pessoa como você? Podem existir outras pessoas parecidas, talvez assustadoramente semelhantes, mas não são iguais. A sua existência é única. Você é único. A estrada da sua vida é sua e de mais ninguém; é resultado de suas escolhas, experiência, aprendizado e daquilo em que você acredita ou não.

A forma como percebe e se relaciona com o mundo em que vive é fruto de como você o vê. E você vê o mundo com base naquilo em que acredita sobre ele. Imagine que você seja apresentado a um problema no seu trabalho. Se você pensar que não é capaz de resolvê-lo, não será capaz de resolvê-lo realmente.

Quando você determina um comando para a sua mente, ela naturalmente busca como realizar a tarefa. Se a primeira informação que ele recebe é que você não é capaz de fazer isso, sua criatividade se fecha, suas sensações físicas tendem a ser de desconforto, irritação e até mau humor. Emoções limitadoras são ativadas, reforçando a incapacidade de realizar aquela atividade, projeto ou mesmo uma meta de produção. E, com todo o seu corpo e mente jogando contra você, vai ser difícil ganhar o jogo.

Dessa forma, utilizamos todo o grande potencial humano para não realizar tarefas ou resolver problemas, e assim passamos a ter mais uma dificuldade: começamos a acreditar que não somos bons o suficiente. Sua auto-estima começa a ser comprometida, seu grau de certeza em relação à vida fica abalado.

Você pode estar se perguntando se acontece tudo isso apenas em razão de você ter acreditado não ser capaz de realizar. Sim! Isso ocorre em segundos. E cada vez, você terá menos capacidade de resolver problemas, atingir objetivos e realizar metas.

Olhe ao seu lado, entre as pessoas com as quais convive: quanto mais problemas as pessoas são capazes de resolver, mais elas são bem remuneradas, seu trabalho é necessário, seu poder de decisão tende a crescer. Isso ocorre porque essa pessoa acredita que é capaz de fazer aquilo que se propõe.

Cada vez mais, coisas que antes pareciam improváveis de serem realizadas serão concretizadas, situações adversas serão resolvidas por quem acredita ser capaz de realizar e busca os recursos necessários para isso. Talvez você seja assim, talvez não, mas o fantástico é que você pode mudar isso se quiser. Se você acreditar que pode, da mesma forma, sua mente começará a trabalhar para viabilizar aquilo que deseja; opções começarão a aparecer, você perceberá mais claramente o que tem de aprender para realizar aquilo que deseja, pois o alicerce já foi formado, você acreditou no seu poder de superação e realização.

Henry Ford, o criador da Ford e das linhas de produção, no início do século passado, já nos dizia: “Se você pensa que você pode ou se você pensa que você não pode, não importa. De qualquer forma você está certo”.

Agora, neste exato momento, você pode ir além dos seus limites. Convido você a tomar uma decisão: faça deste um grande dia, escolha emoções positivas que permitam aprimorar suas habilidades empresariais, comerciais, de relacionamento com clientes e colegas de trabalho, para que seja capaz de realizar mais do que está acostumado a fazer. Assim, você começa a expandir seu padrão de comportamento. Que emoções são essas? Alegria, entusiasmo, bom humor e otimismo são alguns exemplos. Associe a isso determinação, coragem, compromisso, amor e disposição de continuar crescendo e se superando. Você descobrirá como é capaz de ir além de seus limites.


  • 0
Cuidando do Tempo para viver melhor!

Cuidando do Tempo para viver melhor!

Category : Motivação

“Se amas a vida, valoriza o tempo, afinal de tempo que a vida feita.” (Thomas Edison)

É fascinante como a maioria das pessoas consegue viver suas vidas, sobrevivendo a todas as distrações modernas.

Quando estava finalizando um dos capítulos do meu livro: A inteligência do Sucesso – a Inteligência de quem faz acontecer, senti o tempo. Ao sistematizar alguns dos padrões de comportamento de pessoas realizadoras é comum perceber como elas gerem seu tempo. A vida é tão justa que todas as pessoas têm algo em comum. Dias com 24h. Tanto a pessoa de êxito, como a pessoa mal-sucedida. O que difere drasticamente nelas, normalmente, é o que cada uma delas faz com o tempo que possui.

Foi feito um estudo 30 anos atrás que dizia que um americano médio com 72 anos gastou seu tempo de vida assim:

21 anos dormindo
14 anos trabalhando
7 anos desenvolvendo atividades de higiene pessoal
6 anos comendo
6 anos viajando
5 anos esperando em filas
4 anos aprendendo
3 anos participando de reuniões
2 anos retornando chamadas telefônicas
1 ano procurando por coisas perdidas
3 anos em outras atividades isso inclui:
* 1 a 2 meses fazendo sexo (dados de pesquisa recente )

Imagine como será a avaliação de nossos dias daqui a algumas décadas:

Passou:
No mínimo 8,2 anos assistindo TV (3h/dia)
4 a 5 anos MSN, Orkut e similares ( 2h/dia)

Sem contar o trânsito e assim por diante….

Perdoem-me! Havia esquecido do tempo no celular.

Na verdade, qualquer projeção hoje passa ser pura especulação alucinatória, pois não sabemos qual será a novidade que será lançada amanhã para ocupar ainda um pouco mais nosso escasso tempo.

Infelizmente sinto que cada dia mais as pessoas acabam por sacrificar o desenvolvimento de relações humanas saudáveis e sólidas, por sites de relacionamentos com centenas de contatos superficiais.

Vale a prudência de se relacionar com a tecnologia, mas sem perder a conexão com o ser humano.

Você controla sua vida na medida direta que controla seu tempo.

Já que parou para dar uma olhadinha nesse artigo, que tal planejar ainda melhor seu dia, sua semana. Compartilhe essa mensagem com um amigo. Que tal dizer a ele, quem sabe se a gente se programar melhor, possa de fato tomar aquele café do qual estamos falando há tanto tempo.

“Recentemente fui surpreendido com uma notícia na radio CBN, às 9h da manhã, numa sexta-feira. “Morreu essa madrugada o compositor e publicitário Zé Rodrix”.

Olhei para minha esposa assustado, pois ainda naquela semana eu e o Zé tínhamos falado sobre aquele almoço. Há 2 meses tentávamos nos reunir para um bom papo. Brilhante e genial, Zé foi um ídolo da minha infância e éramos amigos há alguns anos. Lembrei-me nostálgico de “Casa no Campo”: “onde eu possa plantar meus amigos, meus discos e livros e nada mais”.

Aproveite o tempo para dizer às pessoas que são importantes na sua vida, o que você acha importante ser dito para elas. Enquanto ainda há tempo. Faça isso hoje, faça isso agora.

De minha parte termino dizendo que: “amigo é coisa para se guardar dentro do coração, mesmo que o tempo e a distância digam não….mas infelizmente as vezes as pessoas vão embora cedo demais”. Aproveite as amizades, aproveite a vida.

Seja senhor do seu tempo e lembre-se: “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.


  • 0
A Geração Blackout

A Geração Blackout

Category : Motivação

Em nove meses estaremos presenciando o nascimento da geração apagão ou blackout, para ser mais chique! Na última noite de terça dia, 10 de novembro de 2009, por volta das 22h, um apagão como jamais se viu na história do Brasil, surpreendeu a população. A grande maioria estava em suas casas assistindo TV. Qual não foi a surpresa, quando as luzes começaram a oscilar e por fim se apagaram completamente.

No início a sensação de impotência gera irritação por se tratar de algo local, como de costume. Mas o que se viu foi a efetividade das telecomunicações. Em poucos minutos a maioria das pessoas já estava ciente que a coisa era mais séria do que se imaginava. Os celulares de fato tornaram as pessoas acessíveis nos lugares mais diversos. Muitos, dessa forma, se comunicaram com amigos e parentes para saber o que estava acontecendo. Mas diferente dos telefonemas habituais de quando não temos o que fazer, pude perceber na noite do apagão, ao conversar com diversas pessoas, que elas não ficaram penduradas no celular, foram rápidas, tudo com objetivo de economizar a energia do aparelho, pois poderiam precisar depois.

O que se viu então de início foi certo constrangimento nos lares do país, pois as pessoas se olhavam e não sabiam sobre o que falar. A falta ou quase ausência de diálogo familiar foi comprovada. Afinal a TV substitui esse diálogo de uma forma excepcional. Ao invés de tomar conhecimento do que ocorre no seu mundo e das pessoas próximas a você, passamos o tempo na telinha vendo o mundo dos outros, na maioria das vezes em tempo real. Mas hoje não quero discutir o padrão de comportamento do povo brasileiro à frente da TV, mas sim o que aconteceu quando a TV se apagou. Ficou “claro” para muitas pessoas, apesar do apagão, como a falta de diálogo cria um grupo de estranhos que compartilham do mesmo teto. Então algo interessante começou a acontecer, muitas pessoas respiraram fundo e começaram a conversar:

– Como foi seu dia?

– Bom, e o seu?

– Pra variar meu chefe está pegando no meu pé, fora isso tudo bem.

– E a faculdade?

– O semestre está acabando, me formo no ano que vem.

– Nossa é verdade já estamos chegando no fim do ano. Como o tempo passou rápido.

-Você logo estará formado.

E por ai vai. Pais conversaram com filhos, irmãos trocaram histórias de seus dias. Para alguns casais talvez tenha sido muito assustador pensarem: O que faço agora?

Nasci no interior da Norte do Paraná, numa pequena cidade chamada Cambará. Meu pai teve 9 irmãos e minha mãe também. Existe um ditado comum por lá, quando sabemos que alguém tem muitos filhos. De fato não é um ditado, mas sim uma pergunta:

-Não tinha televisão na sua casa, não?

Na terça à noite, milhões de casas do país estavam sem TV. Acredito que por falta de opção muitos casais deitaram mais cedo que o habitual. Sem sono, acordados e juntinhos, o sexo aconteceu quase que naturalmente. Em muitos casos, foi o resultado mais da falta de opção, que da paixão do casal.

Daqui a alguns anos, já imagino alguns país explicando aos seus filhos: “foi no blackout. Acabou a luz, ficamos sem TV e sem o computador. Fomos fazer outras coisas, entre elas, amor. Você é nosso filho, mas seu padrinho é o governo federal.

Cuidando do Tempo para viver melhor!


  • 0
O S.O.M. do Sucesso

O S.O.M. do Sucesso

Category : Motivação

Mais que comum, decisões que tomamos para a nossa vida são normais e saudáveis. Saber que algo não está satisfatório e dessa forma decidir mudar, ou ainda estabelecer seus objetivos para uma nova fase que se inicia, possibilita uma nova visão sobre a própria vida.

De fato essa nova visão só ocorre quando realmente desejamos e decidimos realizar essas coisas. A origem da palavra decisão vem do latim e significa – ruptura. Para seguir por um caminho é necessário romper com outro. Quanto realmente você está disposto a romper com alguns padrões antigos que têm gerado em sua vida, sofrimento, desperdício, dor, prejuízo e coisas afins? Afinal, 80% das vezes nos mudamos para fugir da dor e 20% para gerar prazer.

A dor é uma grande fonte de mudança. O que se torna um desafio interessante é a possibilidade de fazer mais e melhor, e nos superarmos. Sem um grau expressivo de autoexigência acabamos por nivelar por baixo e nos acomodamos. Talvez essa seja a sua escolha, talvez não.

Se você deseja ser ainda mais produtivo e feliz, você precisa saber qual é o S.O.M. desse momento. Qual vai ser o ritmo estabelecido. Esse S.O.M. é uma melodia diferente. Não é para ser ouvida, mas sim experimentada. Ele deve ser capaz de estimular sua mente, sensibilizar seu coração e movimentar seu corpo. Estamos falando de uma melodia cujo maestro e compositor é você mesmo. O S.O.M. que me refiro são seus Sonhos, Objetivos e Metas.

O que você deseja realizar na sua vida?

Quais são seus sonhos?

Quais são os objetivos a serem atingidos e conquistados?

Quais são suas metas e estratégias para tornar as possibilidades em realizações?

Para chegarmos a um local, primeiro definimos Onde queremos ir. Depois o Como e o Quando. O porquê é por sua conta. Sem querer ser repetitivo, mas você necessita saber quais são os motivos que farão com que você aja.

Se você acha que é tarde demais, lembre-se:

A melhor forma de recuperar o tempo perdido é não perder mais tempo.

Sua vida, seu S.O.M., sua melodia de sucesso, suas escolhas.

Realizar o que você deseja. Isso se chama Sucesso.


  • 0
Resiliência, a Arte de Recomeçar

Resiliência, a Arte de Recomeçar

Category : Motivação

Realmente me impressiona como a sabedoria popular é capaz de falar sobre questões que podem ser chamadas de atemporais. Uma em especial tem chamado minha atenção. Após a sua eleição à presidência dos EUA, Barak Obama em seu discurso de posse falou ao mundo sobre a grande capacidade de resiliência do povo americano. Nesse momento esse termo se tornou popular. Mas o que é essa tal de resiliência que agora todo mundo começou a falar? Recordo-me da primeira vez que ouvi esse conceito, em 2002, apresentado por Mauricio Sita na época editor da Revista VENCER, atualmente a frente da Revista Ser Mais. Na época parecia uma palavra diferente para explicar um conceito incomum. Pensei ser mais um modismo da área de gestão, como tantos outros que havíamos conhecido. Você se recorda da reengenharia e por ai vai… Mas na verdade o que ocorreu foi a criação de um termo para traduzir um padrão de comportamento extremamente importante. Uma música com mais de 50 anos, chamada “Volta por Cima” de Paulo Vanzolini, já trazia a resiliência como tema, e ainda hoje é cantada com empolgação pelo público. Constato isso em algumas de minhas palestras. Você também deve se lembrar:

“Levanta sacode a poeira e da a volta por cima.”

O que essa sabedoria popular está falando nada mais é que a essência dessa tão famosa resiliência. Trata-se da nossa capacidade de continuar, a despeito das situações adversas, problemas ou desafios envolvidos. Se existe um povo que é resiliente é o povo brasileiro. É impressionante a capacidade que temos de superar, levantar e continuar. Às vezes, como especialista em comportamento, fico em dúvida sobre a perigosa associação da resiliência com a passividade e acomodação vista em especial nos últimos anos. Espero, mais que isso, desejo que com o passar do tempo possamos nos tornar ainda mais resilientes, porém também mais assertivos e comprometidos com aquilo que desejamos.

O insucesso é uma parte relativamente comum do caminho de qualquer profissional. Costumo brincar dizendo: quem disser que nunca teve um insucesso, de duas uma: nunca vez nada na vida ou está mentindo.

Só existe fracasso quando desistimos ou não aprendemos nada. Havendo no mínimo um pequeno aprendizado, então não ouve fracasso, mas sim um insucesso. Você pode dizer que é apenas uma questão semântica ou linguística. Mais que isso é uma questão de neurociência cognitiva. As áreas cerebrais ativadas por cada palavra são completamente diferentes, limitadoras ou estimuladoras dependendo assim do padrão da sua linguagem.

Faça da resiliência uma característica pessoal e desfrute de todos os benefícios dessa virtude em sua vida. Ela pode ser aprendida e desenvolvida. Só depende de você!


  • 0
O Poder da Autoliderança

O Poder da Autoliderança

Category : Motivação

No ano passado, apresentei dois novos conceitos ao mercado, resultado das avaliações e conclusões dos estudos que realizei dentro da Medicina Comportamental na UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo). Foram denominados como Inteligência Comportamental Humana – A inteligência do Sucesso e Liderança Comportamental – A liderança de resultados. Esse novo conceito é baseado na capacidade de tomar decisões que nos levem a realizar aquilo que desejamos. De forma pragmática e simples, esse conceito aborda pela primeira vez a inteligência pelo lado do resultado e não pela possibilidade ou talento especial nato.

Como a liderança é um dos temas mais atuais e importantes, fica aqui o registro da importância de cada indivíduo nesse processo. Na maioria das vezes, falamos de como influenciar pessoas, motivá-las e, mais recentemente, como servir (Liderança Servidora- James Hunter – autor do monge e o Executivo). Quero, no entanto, ressaltar a importância da escolha em assumirmos a responsabilidade pela nossa própria vida, assumir a sua autoliderança. A liderança de resultados pressupõe influenciar e servir a pessoa mais importante que existe, você mesmo. Fui criticado recentemente por esse conceito tender ao egoísmo, reforço aqui, isso transcende o individuo, afinal, você pode servir a si mesmo realizando o que deseja e, esse desejo contribui para a sociedade. Um exemplo claro disso é a Dra. Zilda Arns. Tive a oportunidade de entrevistá-la para a minha coluna, cujo titulo é Sucesso, e afirmo para você que ela é extremamente focada em realizar aquilo que deseja e acredita. Assume sua responsabilidade em fazer acontecer e hoje atinge mais de 5.000.000 de pessoas nos programas da Pastoral da Criança em comunidades carentes pelo Brasil e exterior. São quase 300.000 voluntários em uma luta incessante pela informação, educação e treinamento em questões básicas de saúde geradores de grandes resultados.

Assim, como ela, posso citar inúmeros outros casos de pessoas com grande capacidade de liderança comportamental que ousaram fazer parte da solução e assumir o controle de suas vidas. Falo para milhares de pessoas todos os meses, nas mais diversas áreas, e quando pergunto a elas se têm ou tiveram problemas, quase sem exceção, respondem-me que sim. Fato! Todos temos problemas. Em seguida, pergunto a elas se acreditam que exista solução para o seus problemas. Felizmente, também afirmam que sim. Fica então a pergunta que não tem preço: você deseja fazer parte do problema ou da solução da sua vida? Tudo isso é uma questão de foco e proatividade. Em momentos cuja avaliação de resultado se faz presente para a maioria de nós, afinal estamos chegando ao final do ano, essas questões começam a ter uma importância mais significativa e se tornam mais relevantes. Uma das maiores virtudes dos grandes realizadores, dos grandes líderes comportamentais, é sua capacidade de recomeçar. Aprender crescer e mudar. Atualmente, utilizamos um termo específico: a resiliência.

O grande desafio de assumir o controle da própria vida, de fato e não de papo, é a responsabilidade pelos resultados. Quando realizamos algo que tem importância para nós, aumenta a nossa autoconfiança, melhora a nossa auto-estima. Consequentemente, temos que tomar cuidado com esse excesso de confiança, com o tamanho do ego. Uma das coisas que vale a pena ressaltar é que quando temos algo importante a ser feito, queremos normalmente colocar nas mãos de pessoas que nos inspirem confiança e competência. Isso só acontece com quem normalmente traz para si a responsabilidade e dá conta do recado. Você não avalia o que ela diz, mas sim, o que fez de fato. Então, o que você está avaliando é a sua inteligência comportamental e a sua capacidade de autoliderança.

“Se você não está satisfeito com os resultados, você está livre para seguir em outro caminho.”

Ao invés de explicar porque não é possível realizar, pergunte-se, o que seria necessário fazer para realizar. “Se não tiver esperança no futuro, não há poder no presente.” Primeiro é necessário acreditar, apenas depois disso é que iremos realmente fazer acontecer com paixão, entusiasmo, responsabilidade, comprometimento e amor. Sua vida, sua responsabilidade, suas escolhas!


  • 0
O caminho da Superação

O Caminho da Superação

Superação pode ser muitas coisas. Podemos avaliar a superação como um jogo de palavras que nos diz Super + ação. Vamos entender o que foi escrito. Uma super + ação normalmente gera um resultado diferenciado, acima da média. Uma ação super é normalmente necessária quando encontramos alguns obstáculos que desafiam a nossa crença de quanto somos capazes de realizar, situações que acabamos por experimentar em nossas vidas, dos mais diversos tipos e nos mais diversos momentos.

Vamos olhar por outro ângulo agora, vamos observar o verbo superar, o que significa:

[Do lat. superare.]

  • Vencer, subjugar, dominar:
  • Livrar-se de; afastar, remover:
  • Passar além de; exceder, ultrapassar:
  • Passar por cima de; passar além de; sobrelevar.

Superar então pode ser entendido como uma ação que nos leva ao êxito, a vitória, a realização, a liberdade. Temos por referência de superação, fantásticos exemplos que superaram obstáculos para realizar o que desejavam. Encontramos esses exemplos no esporte, nas empresas, nas comunidades, nas histórias de tantos homens e mulheres que fizeram coisas que não imaginávamos ser possível.

Sabemos que problemas fazem parte da vida de todos nós. Convido você agora a pensar em quantas coisas você já superou na sua vida. Quantas situações difíceis você já vivenciou? Talvez você esteja vivenciando algo assim hoje? Quantas vezes você já se encontrou em situações que não achava que não seria capaz de superar? Olhe para passado, olhe para a sua história. Perceba que longo caminho você já trilhou. Às vezes valorizamos tanto o que as outras pessoas fizeram, o quanto elas foram capazes de realizar, que esquecemos o quanto cada um de nós fez.

O caminho da superação tem sido utilizado por milhões e milhões de pessoas. Infelizmente, preocupados com algumas situações muitas vezes temporárias, esquecem de perceber o quanto já foram capazes de realizar, de superar, de ir além.

Acredito que temos o direito de viver. Muitas vezes conseguimos apenas sobreviver. Porém não se permita jamais subsistir – viver abaixo da existência.

Mais que um evento, superação é estar conectado com os mais altos padrões de excelência e realização pessoal e profissional.


  • 0
O Sr. Brasil - Rolando Boldrin

O Sr. Brasil – Rolando Boldrin

Domingo de manha, após o café minha família se reunia em frente a TV. Como aconteceu em milhões de lares do país, a manhã de domingo era a hora de ver o Brasil, o SOM Brasil, o som do Brasil. Ao começar a música: “corre um buato aqui donde eu moro, que as mágoas que eu choro são mal ponteada”, percebesse o silêncio que aumentava a expectativa para o início do programa. O apresentador era um show a parte. No lançamento do programa, não dava para entender bem o que aquele famoso ator de teatro, cinema e televisão estava fazendo ali. As pessoas estavam acostumadas com programas regionais, não com um espetáculo como aquele. Bastou abrir a boca para que o Brasil conhecesse a origem “caipira” e popular de Rolando Boldrin.

Conhecemos a história de boy e formiga, nome da duplinha “caipira” formada por ele e seu irmão ainda quando crianças e se apresentando na rádio de São Joaquim da barra sua cidade natal. O espetacular não era o luxo, mas a simplicidade cativante de um ator que falava, cantava e contava causos sentado num banco num cenário simples representando uma venda do interior (Empório) e ali recebia seus convidados. Dos mais famosos aos mais desconhecidos do grande público, porém sempre trazendo talentos maravilhosos. Foi a porta de entrada de muitos profissionais que hoje são reconhecidos nacional e internacionalmente.

Foi o resgate de grandes ídolos esquecidos pela mídia, quase abandonados pelo mundo e reconduzidos ao público pelo Boldrin. Falo não apenas do que presenciei como criança, falo do que ouvi meu pai e minha mãe contarem ainda do seu tempo de solteiros. As lágrimas da face do meu pai ao ouvir ali “Flor de cafezal” na voz de Cascatinha cantando com Boldrin, me ajuda a compreender hoje um pouco do que fez ele pela cultura do Brasil. Quantos milhões de pessoas experimentam e continuam experimentando emoções parecidas. A música e a poesia tocam a alma desse povo.

Artistas, cantores e compositores de norte a sul do país se apresentaram em seus programas que continuaram com o sobrenome Brasil, hoje SR. BRASIL pela TV Cultura, independente da emissora que transmitia. Boldrin é paixão, é amor, é carisma e talento. Sua coragem de continuar superando os altos e baixos da TV, perpetuaram sua imagem. Conviveram com os modismos que como o próprio nome diz já saíram de moda. Ele sobrevive. Mais que isso. Ele vive e continua a iluminar a vida do povo brasileira trazendo a nossa cultura como bandeira. Sua biografia de 50 anos de carreira tem por titulo: Historia de amar o Brasil.

Viajando pelos quatro cantos do país periodicamente, vejo as TVs ligadas aos domingos assistindo não um programa, mas assistindo a ele e seus convidados. O nome do programa já não importa mais, pois Rolando Boldrin é um ícone da cultura popular brasileira. Falo com meus pais todos os domingos pela manha, às vezes eles estão na cidade, outras na roça, mas estão com ele, a TV ligada e a paixão a solta. Ouço meu pai falar do que viu naquele dia ou minha mãe cantarolar uma das músicas apresentadas. Meu pai fala dele como amigo de longa data, afinal o Boldrin é aquele cara, companheiro, “cumpadre”, que, canta, encanta e conta “causos” pros amigos, nos faz rir e chorar. De uma forma como muito pouco se vê na TV brasileira hoje em dia, Rolando Boldrin traz o melhor do Brasil para as casas desse povo forte e lutador.

Meu amigo, obrigado por continuar compartilhando com coragem e ousadia um pouco do povo maravilhoso desse país, que às vezes a gente esquece que tem. Ele realmente lembra aquela maravilhosa campanha institucional: o melhor do Brasil é o brasileiro. Ele ajuda e contribui com seu talento para aumentar o bem-estar e a qualidade de vida de quem o assiste, todas as Terças Feiras as 22h00 e todos os domingos de manhã em reprise da Terça.

Ele não é mais o seu Rolando, ou seu Boldrin, ele hoje traduz a alma e a pureza da cultura brasileira. Por isso e muito mais hoje ele é simplesmente o Sr. Brasil.


  • 0
Relacionamento: Problema ou Solução

Relacionamento: Problema ou Solução

O relacionamento humano é uma das coisas mais desafiadoras que existem. Responsável por alguns dos momentos de maior superação da historia da humanidade, tem também seu lado oposto que gera brigas, guerras e muita confusão. De fato o relacionamento não é o sujeito da argumentação, pois a verdadeira questão é o que o indivíduo faz com seus relacionamentos. Perdoem o trocadilho, porém recentemente ao final de uma palestra, uma pessoa veio me questionar sobre o relacionamento.

Falava dele quase como uma pessoa e, diga-se de passagem, uma pessoa de difícil trato, pois afinal o relacionamento é complicado e muitas vezes ingrato. Por uma brincadeira, perguntei ao meu interlocutor quem era esse tal de “Relacionamento”, pois se ele era assim mesmo eu não queria nem chegar perto. Quase apanhei. Depois do choque da minha afirmação, ele respirou profundamente, me olhou com indignação dizendo que não eu deveria brincar com coisa séria.

Mas se não queria resposta ou atenção, bastava dizer. Desculpei-me e expliquei que necessitava quebrar seu padrão de pensamento, mudar seu foco e, para isso, um comentário como aquele era perfeito. Naquele momento percebi que já tinha sua atenção, de fato eu tinha TODA a sua atenção. Em primeiro lugar perguntei-lhe porque tratava o relacionamento como algo fora de si, pois ele era o autor e o protagonista desse relacionamento. Ficou surpreso com a minha pergunta e voltou para o discurso da grande dificuldade em lidar com pessoas. Interrompi novamente e perguntei quem especificamente tinha essa dificuldade, então respondeu que ele mesmo, assim como inúmeras outras pessoas. Chegamos naquele momento ao primeiro ponto importante, ele percebeu que isso era um problema para ele, fazia parte da sua vida e o deixava muito desconfortável.

Para o ser humano assumir suas possíveis limitações é extremamente desgastante. É sempre mais fácil falar que o problema é do amigo, colega, alguém da família e assim por diante. Indaguei com qual freqüência isso acontecia e sua resposta foi “quase sempre”. Creio que deve ser muito doloroso ter a percepção que na maioria das vezes que decido me relacionar com alguém, tenho dificuldades em chegar aonde desejo e as pessoas não conseguem lidar com a minha “sinceridade”. Algo muito importante surgiu dessa informação. Como assim a sua sinceridade?

-Eu falo o que eu tenho para falar, doa a quem doer. Perguntei de pronto como fazia isso, então me olhou completamente perdido com meu questionamento.

-Eu só digo o que eu penso.

Perfeito, entendi. Mas de que forma você faz isso e com qual intenção?

Utilizo como referência um conceito comportamental muito clássico: Dizer o que se pensa doa a quem doer, não é sinceridade e sim falta de educação.Vivemos em sociedade e dessa forma, entender que os relacionamentos são baseados em respeito é fundamental. A discordância não gera conflito necessariamente, mas sim o desrespeito ao ponto de vista do outro. Nesse momento você pode estar discordando ou concordando com o que estou escrevendo. O mais importante, porém, é que eu consiga expressar minhas idéias, respeitando a diversidade de opiniões.

O conceito que utilizei acima se baseia em pesquisas de relacionamento, onde se concluiu que: agride mais como se diz do que o que se diz a alguém. Por favor, vamos guardar as devidas proporções! Entramos no campo da assertividade, um desafio maravilhoso ao processo de relacionamento e comunicação humana. Dizer o que penso, fazendo me entender e respeitando a outra pessoa. Se você gosta de ser respeitado, seja você o primeiro a respeitar, não podemos obrigar as pessoas a fazerem aquilo que queremos, o verdadeiro poder está em controlar a si mesmo. Dessa forma observe a atitude com que você começa o relacionamento, isso implica em perceber principalmente seus pensamentos e emoções, pois eles determinam a forma como você se relaciona com o mundo. Quando avaliamos uma circunstancia é recomendável que percebamos que uma grande parte cabe a nós e a outra está fora do nosso alcance. Seria bom avaliar se estamos nos colocando na posição de vítima ou de agente ativo; se estamos assumindo ou não a nossa parte da responsabilidade e estabelecendo um processo de melhoria continua na nossa percepção em relação as pessoas e ao mundo.

Epícteto- grande filosofo do inicio do I milênio e mentor do imperador Marcus Aurelius (o imperador filósofo), talvez você se recorde dele como aquele personagem do início do filme Gladiador de Ridley Scott, já nos presenteava com um pensamento poderoso que hoje se tornou uma das bases conceituais da Medicina Comportamental. –“Não são os fatos que nos perturbam, mas sim como percebemos esses fatos.”

Tudo é uma questão de percepção e realidade. Como a realidade é avaliada por meio dos meus sentidos, crenças e valores, o que estou observando é apenas a minha realidade. Sendo assim, existem então muitas realidades, ou melhor, muitas percepções. Concluímos, portanto, que não existe realidade apenas percepção. Então baseado em que estamos percebendo nossos relacionamentos pessoais e profissionais? Como estamos reagindo a isso? Você já parou hoje para refletir sobre a sua vida e seus relacionamentos?


  • 0

Dicas de Treinamento Comportamental

Category : Comportamento

Dicas de Treinamento Comportamental do Dr. Jô

1- Você é o autor do livro da sua vida.
Que história quer contar?

2- Você é responsável pela suas escolhas.
Que caminho quer seguir?

3- Seu comportamento determina o seu resultado.
Não existem erros apenas resultados insatisfatórios.

4- Sua emoção é o seu filtro supremo de seu relacionamento com o mundo.
Você vai perceber o mundo de acordo com a qualidade de suas emoções.
Que tipos de sentimentos têm sido mais comuns em sua vida?

5- Suas crenças controlam sua vida, e você é aquilo que acredita ser.
Suas crenças são a base de seus pensamentos, utilize crenças mais fortalecedoras e você terá mais poder a cada dia na realização daquilo que deseja.

6- Cuidado com crenças limitadoras e com emoções negativas, elas vão restringir sua capacidade de superação.
Acreditar naquilo que nos causa sensação de incapacidade, insegurança, fragilidade, entre outras coisas é fortalecer aquilo que nos destrói.

7-  Mude suas crenças e mude a sua vida.
Como fazer?

  • Levante seus padrões.
  • Mude suas crenças limitadoras.
  • Mude sua estratégia.

8- Estabeleça um alto padrão de referência.
Tenha por modelo a excelência. 

9- Comprometa-se a ser o melhor que você pode ser.
Ninguém tem mais poder para fazer isso que você mesmo.

10- Ouse fazer de sua vida, uma vida EXTRAORDINÁRIA!
A escolha é sua!

 


Translate »